Linha Automotiva Linha Moto Linha Diesel Gestão

Aula 11 – MOTOR DE PASSO

Função

O motor de passo é basicamente um motor de corrente contínua de duas bobinas, com a particularidade de que, com pulsos de tensão, aplicados sequencialmente em cada uma delas, o eixo gira um ângulo predeterminado.

Este ângulo depende de características construtivas de cada motor em particular.

Os motores de passo atuais possuem quatro terminais de entrada de pulsos:

• Dois para rotação do eixo no sentido horário e os outros dois para a rotação no sentido anti-horário.

 1F

Aplicação

Aplicação nos sistemas de eletrônica embarcada:

• Controle da marcha lenta. Serve para regular, com precisão, a quantidade de ar que é desviada do fluxo normal no corpo de borboleta e isto, para manter o motor funcionando na marcha lenta. Localizado no corpo da borboleta. Identificado na literatura com a sigla IAC.

• Controle de vazão em sistemas GNV (gás natural veicular) atuais. Controla a mistura, ajustando o fluxo de gás despejado na corrente de ar admitido.

Geralmente, faz parte do conjunto regulador de pressão.

• Controle do amortecimento nos sistemas de suspensão eletrônica. Controla a vazão entre as câmaras do amortecedor. Localizado no próprio amortecedor.

• Controle EGR. Regula o fluxo dos gases de escape re-circulados, controlando a abertura da passagem. Geralmente, localizado na entrada dos gases no coletor de admissão.

Funcionamento

Nas aplicações mencionadas, o eixo do motor está ligado a um êmbolo ou haste de extremidade cônica, que regula um furo de passagem de fluido. O êmbolo é estendido e retraído (segundo o sentido de rotação do motor) através de um conjunto “engrenagem/parafuso sem fim” que transforma o movimento de rotação do motor num deslocamento linear.

Sintomas de falha:

• No caso do motor de passo aplicado ao controle da marcha lenta (IAC), a falha pode deixar o motor acelerado ou com marcha lenta irregular ou até, parar.

• No caso do motor de passo aplicado ao sistema EGR, o defeito pode provocar marcha lenta irregular ou perda de desempenho, quando falha aberto; ou aumento de imissões de NOx quando falha fechado.

• No caso da aplicação GNV, um defeito no motor de passo provocará o aumento das emissões.

Diagnóstico de Falhas

O motor de passo pode apresentar falha por:

1. Defeito mecânico: engrenagens ou haste emperrada.

2. Defeito elétrico: bobina aberta ou em curto, terminais com contato defeituoso.

• Para defeito mecânico pode ser utilizado o scanner para exercitar o motor de passo e verificar que o mesmo se movimenta. Uma outra forma é provocar uma condição de modificação do motor de passo e verificar que o mesmo se movimenta. Tanto no controle da marcha lenta como no sistema EGR, uma aceleração/desaceleração do motor deverá provocar a movimentação do motor de passo.

• Para defeito elétrico a maior parte dos sistemas de eletrônica embarcada grava código de falha, que pode ser recuperado utilizando o scanner.

Anexos1

VER TUDO Add a note
Você
Adicionar comentário